quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Pitágoras - Mestre

Pra mim, serve como um puxão de orelha, lição de vida e acima de tudo me enche os olhos!!!


VERSOS DE OURO DE PITÁGORAS


1. Primeiro, adora os Deuses Imortais, como eles estabeleceram e ordenaram na Lei.

2. Reverencia o Juramento, e a seguir os Heróis, plenos de bondade e luz.

3. Honra igualmente os Demónios Terrestres prestando-lhes o culto que lhes é legalmente devido.

4. Honra igualmente os teus pais, e aqueles que te são mais próximos

5. De todo o resto da humanidade, faz teu amigo aquele que se distinguir pela sua virtude.

6. Ouve sempre as suas pacíficas exortações, e toma como exemplo as suas virtuosas e úteis ações.

7. Evita tanto quanto possível odiar os teus amigos por faltas insignificantes.

8. E compreende que poder é um vizinho próximo da necessidade.

9. Sabe que todas estas coisas são como as disse a ti; e habitua-te a superar e a vencer estas paixões:

10. Primeiro a gula, preguiça, luxúria e ira.

11. Não faças nada de mal, nem na presença de outros, nem em privado,

12. Mas acima de tudo, respeita-te a ti mesmo.

13. A seguir, observa a justiça nos teus atos e nas tuas palavras,

14. E não te habitues a comportares-te em todas as coisas sem regra e sem razão.

15. Mas considera, sempre, que é ordenado pelo destino que todos os homens morram,

16. E que os bens da sorte são incertos; e que como podem ser adquiridos, assim podem ser igualmente perdidos.

17. No que concerne a todas as calamidades que os homens sofrem pela divina fortuna,

18. Suporta, com paciência, o teu fado, seja ele qual for, e nunca te lastimes,

19. Mas esforça-te no que puderes corrigir.

20. E leva em consideração que o destino não envia a maior porção destas desgraças aos homens bons.

21. Há entre os homens muitas formas de raciocinar, boas e más;

22. Não os admires nem os rejeites com muita facilidade.

23. Mas se forem ditas falsidades, ouve-os com suavidade, e arma-te com paciência.

24. Observa bem, em todas as ocasiões, o que te vou dizer:

25. Não deixes que nenhum homem, seja por palavras, seja por atos, te seduza,

26. Nem te seduzas tu ao dizeres ou fazeres o que não for proveitoso para ti mesmo.

27. Informa-te e delibera antes de atuares, para que não cometas acções disparatadas,

28. Porque isso é próprio de um homem miserável: o falar e atuar sem refletir

29. Mas faz o que mais tarde te não afligir nem te causar arrependimento.

30. Nunca faças nada que não compreendas.

31. Mas aprende tudo o que tens obrigação de conhecer, e assim levarás uma vida feliz.

32. De nenhum modo neglicencies a saúde do teu corpo;

33. Mas dá-lhe bebida e comida na justa medida, e exercita, também, o que de tal tiver necessidade.

34. Por medida quero dizer o que te não incomoda.

35. Habitua-te a um estilo de vida simples e decente, sem ostentações.

36. Evita tudo o que suscitar inveja,

37. E não sejas perdulário sem motivo, como alguém que não sabe o que é decente e honroso.

38. Nunca sejas cobiçoso nem avarento; a justa medida é excelente nestas coisas.

39. Faz apenas aquilo que não pode ferir-te e pondera cuidadosamente antes de o fazeres.

40. Nunca permitas que o sono feche os teus olhos, depois de teres ido para a cama,

41. Até teres examinado, com a tua razão, todas as tuas ações do dia:

42. Em que é que eu errei? O que é que eu fiz? O que é que eu não fiz e que devia ter feito?

43. Se neste exame achares que fizeste mal, repreende-te severamente;

44. E se fizeste algo bom, regozija-te.

45. Pratica minuciosamente todas estas coisas; medita bem nelas; deves amá-las com todo o teu coração;

46. Elas irão pôr-te no caminho da virtude divina.

47. Eu o juro por aquele que passou para as nossas almas a Tetraktis Sagrada, a fonte da natureza, cuja causa é eterna.

48. Mas nunca deites mão a nenhuma obra antes de teres, em primeiro lugar, rogado aos deuses que aperfeiçoem o que vais começar.

49. Quando fizerdes disto um hábito familiar,

50. Conhecerá a constituição dos Deuses Imortais e dos homens.

51. Verás quão extensa é a diversidade dos seres e aquilo que os contém e os mantém presos;

52. Igualmente saberás que, de acordo com a Lei, a natureza deste universo é semelhante em todas as coisas;

53. Deste modo não terás de esperar o que não deves esperar; e nada neste mundo te será oculto.

54. Igualmente saberás que os homens lançam sobre si mesmos as suas próprias desgraças, voluntariamente, e por sua própria e livre opção.

55. Infelizes que eles são! Nem vêem nem compreendem que o seu bem está junto deles.

56. Poucos sabem como se livrar das suas desgraças.

57. Tal é o fado que prende a humanidade, e lhe rouba a consciência.

58. Como grandes ondas, rolam de um lado para o outro e oprimem-se com males inumeráveis.

59. Pois uma luta fatal, inata, persegue-os por toda a parte, sacudindo-os para cima e para baixo; nem eles percebem isso.

60. Em vez de provocarem e excitarem isso, deviam evitar isso tornando-se úteis.

61. Oh! Zeus, nosso Pai! Se não libertares os homens de todos os males que os oprimem,

62. Mostra-lhes de que demônios se devem servir.

63. Mas toma coragem; a raça do homem é divina;

64. A natureza sagrada revelar-lhes-á os mais recônditos mistérios;

65. Se ela te revelar os seus segredos, facilmente realizarás todas as coisas que te recomendei

66. E pela cura da tua alma, libertá-la-ás de todos os males, de todas as aflições.

67. Mas abstém-te de carnes que nós proibimos nas purificações e na libertação da alma;

68. Faz uma distinção justa das mesmas e examina bem todas as coisas.

69. Deixando-te, sempre, guiar e ser dirigido pela compreensão que vem do alto e que deve segurar as rédeas,

70. Quando, tendo-te despojado do teu corpo mortal, chegares ao mais puro Éter,

71. Serás um Deus imortal, incorruptível e a Morte não mais terá domínio sobre ti.

Um comentário:

Deixe seu recado